Cartilha de Pragas

CONTROLE INTEGRADO DE PRAGAS – ETAPAS DE CONTROLE INTEGRADO:
Inspeção Inicial:
Inspeção minuciosa de todas as dependências do imóvel e avaliação dos níveis de infestação com posterior mapeamento das instalações, dando-se a elas níveis de criticidade.

Identificação de Pragas:
Caracterização das pragas que infestam os setores. Esta etapa implica inicialmente no conhecimento básico da morfologia dos roedores, insetos rasteiros e voadores, pragas típicas da região etc. Esse perfil de ocorrências é registrado em formulário desenvolvido para cada instalação, reunindo dados de observação de focos e resultados das inspeções.

Sistema de Monitoramento:
Implantação de um sistema efetivo de monitoramento, onde os registros técnicos são devidamente documentados. São os históricos de cada instalação que irão determinar parâmetros de coordenação e ajuste do Controle Integrado. Através dele são definidas as melhores ações preventivas, os detalhes das inspeções de controle e as técnicas de tratamento, equipamentos e produtos mais eficazes para o conjunto de ocorrências.

Estações de monitoramento de pragas são instaladas em pontos estratégicos das instalações. Estas estações são mapeadas e examinadas periodicamente, e servem de indicadores de presença de pragas e, conseqüentemente, vulnerabilidade do sistema de proteção aos pontos críticos. Estas estações são armadilhas adesivas contendo atrativos alimentar ou sexual.

Controle Químico:
O controle químico requer muita atenção, pois envolve manipulação de princípios ativos que exigem conhecimentos técnicos e cuidados de segurança. Além disso, prevê equipamentos de proteção individual EPI’s, tempo de permanência do princípio ativo nas áreas, periodicidade mais adequada, adequado uso de produtos legalmente indicados e sua toxicologia, descarte de embalagens etc.

O Controle Químico está presente para complementar às orientações de limpeza e higiene.

TÉCNICAS DE CONTROLE DE INSETOS RASTEIROS:
Tratamento de superfície:
Aplicação de calda inseticida de maneira uniforme sobre as superfícies, rodapés, na junção entre as paredes e o piso, através de pulverizadores manuais, de forma que os insetos que os percorram sejam contaminados pelos microscópicos cristais dos inseticidas aplicados.

Tratamento localizado:
Aplicação de calda inseticida diretamente nos esconderijos e abrigos dos insetos, localizados nas pequenas frestas, reentrâncias, rachaduras, gretas e ninchos existentes nas superfícies e junções através de pulverizadores manuais, visando principalmente o extermínio das baratas germânicas, aranhas e escorpiões.

Tratamento do perímetro:
Aplicação de uma barreira química protetora em torno das instalações tratadas. A aplicação dessa espécie de anel protetor impedirá o acesso de novos insetos rasteiros ao interior da área alvo, evitando-se assim novas manifestações.

Descrição do equipamento:
Pulverizador Costal Manual

TÉCNICA DE CONTROLE DE INSETOS VOADORES E TRAÇAS:
Tratamento espacial:
Saturação do ambiente com microgotículas de calda inseticida, as quais serão levadas a todas as partes do recinto assim tratado, pelas próprias correntes de ar ali existentes. Devido às pequenas dimensões dessas gotículas, elas ficam por longo período de tempo em suspensão no ar ambiente e são capazes de penetrar em todos os espaços da área, incluindo os esconderijos dos insetos. Essa técnica utiliza atomizadores elétricos que produzem uma finíssima névoa e os termonebulizadores que produzem uma neblina densa.

Descrição do Equipamento:
Atomizador Elétrico
Termonebulizador

TÉCNICA DE CONTROLE DE BARATAS:
Tratamento através de aplicação de gel:
Aplicação de pequenas quantidades (0,03g) na forma de gotas com auxílio de pistola dosador, aparelho exclusivo de alta precisão. Essas gotas de gel atraem baratas em uma distância de até um metro do ponto de aplicação e a contaminação de outras baratas se dá pelo canibalismo de carcaças ou pela ingestão de fezes de baratas contaminadas, o que gera a morte em cadeia. Essas gotas são aplicadas nas áreas onde as baratas se abrigam e se agregam, ou seja, frestas, cavidades, cantos ou por onde elas se movimentam.

O gel pode também ser aplicados em utensílios domésticos e equipamentos elétricos (computadores, caixas registradoras, painéis elétricos etc.) que são abrigos preferidos das baratas. A aplicação com gel pode ser feita no horário normal evitando os inconvenientes da aplicação líquida: paralisação das atividades, necessidade do pré preparo da área e odor incômodo. O gel é a solução mais eficiente para o controle profissional de baratas: barata alemã (Blattela Germânica) e barata americana (Periplaneta Americana), pois promove um rápido controle noturno e reduz imediatamente a população destes53 insetos.

TÉCNICA DE CONTROLE DE ARACNÍDEOS:
Tratamento Localizado:
O combate químico aos aracnídeos é feito através de aplicação de inseticida por pulverização nos principais pontos onde escorpiões possam estar se escondendo ou caçando. É aconselhável também o tratamento do perímetro, ou seja, a aplicação de uma barreira protetora em torno das instalações tratadas. A aplicação dessa espécie de anel protetor impedirá o acesso dos aracnídeos ao interior da área alvo.

TIPOS DE INSETICIDAS:
Inseticidas Organofosforados:
Agem inibindo a colinesterase, enzima que participa da transmissão do impulso elétrico entre duas células nervosas. Em caso de intoxicação acidental por organofosforato, a mesma pode ser revertida através de aplicação médica de seus antídotos como o sulfato de atropina, o PAM e o Contration. Os organosfosfatos deterioram-se no meio ambiente, a maioria de forma relativamente rápida, e não permanecem por longos períodos dentro do organismo de animais não alvos: portanto não representam grande perigo para o meio ambiente.

Inseticidas Piretróides Sintéticos:
Foram obtidos através de reproduções artificiais de várias moléculas similares à das piretrinas, apresentando uma ação ampliada quando comparada às piretrinas naturais. Algumas qualidades desse grupo são: melhor efeito desalojante sobre as baratas; efeito fulminante sobre moscas, mosquitos e baratas; algum vapor de efeito tóxico sobre os insetos e um certo efeito residual. Não obstante sua baixa toxidade geral, os piretróides sintéticos são em geral, destituídos de antídoto específico. Conseqüentemente, o tratamento de um ser humano ou animal intoxicado por alguma substância desse grupo terá de ser sintomático.

Inseticidas Carbamatos:
Agem como inibidores de enzimacolinesterase, mas em contraste com os inseticidas organofosforados, essa inibição é reversível. Esse fato permite ao homem uma rápida recuperação do envenenamento acidental, mas permite também a recuperação de insetos se atingidos por doses sub-letais. Os carbonatos não são prontamente solúveis em solventes orgânicos geralmente usados para inseticidas de formulação oleosa. Eles são prontamente absorvidos pelo corpo e apresentam um grande espectro de atividade inseticida.

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (E.P.I.S):
Máscaras Nasais:
Com filtro de carvão ativado

Jalecos e Calças respectivamente de mangas e pernas longas:
Dá proteção ao tronco e membros bloqueando ou reduzindo o contato dos praguicidas com a pele, através da manipulação ou aplicação deste.

Óculos Protetores:
Com lentes panorâmicas, armação plástica, leve e flexível para bom acoplamento à face e tirante ajustável.

Boné:
Oferece proteção ao couro cabeludo e, parcialmente, ao rosto.

Calçados de Couro:
Devem ser utilizados no carregamento, diluição e aplicação de praguicidas de qualquer categoria.

Luvas de Borracha ou PVC:
Devem ser utilizadas em todos os procedimentos com praguicidas como preparo de caldas, armazenamento e transporte ou outras aplicações que envolvam o contato direto com concentrado.

TÉCNICAS DE CONTROLE DE ROEDORES:
Iscagem:
Colocação de iscas sempre o mais próximo possível dos caminhos e trilhas dos roedores e, se possível, diretamente dentro de suas tocas ou ninhos.

Controle Físico:
Colocação de comedouros ou cochos e placas de cola.

TIPOS DE ISCAS:
Granuladas:
Apresentam-se em invólucros fechados de plásticos contendo quantidades que devem ser aplicadas em cada ponto da área tratada.

Blocos Sólidos:
Podem ser empregados com sucesso não só em esgotos ou galerias subterrâneas, mas também em armazéns, depósitos, canais de irrigação etc., por serem resistentes à umidade.

Pós de Contato:
São polvilhados na soleira das tocas, ao longo das trilhas, nas passagens e nos pontos mais freqüentados pelos roedores, que ao passarem por este pó, sofrem em suas patas e pêlos a aderência do mesmo.

TIPOS DE RODENTICIDA:
Anticoagulantes de Dose Única:
Necessitam ser ingeridos em apenas uma dose para que o efeito letal ocorra, ainda que a morte sobrevenha cerca de 8 à 12 dias em média após a ingestão do raticida. Apresentam algumas vantagens como a necessidade de uma só ingestão para fazer efeito e a não necessidade de várias reposições das iscas, bastando uma repetição.

Anticoagulante de Dose Múltipla:
Apresentam efeito acumulativo, necessitando ser ingeridos alguns dias seguidos (de 2 à 5), para que os sintomas de envenenamento apareçam, isto é, a droga vai se acumulando no organismo do roedor até causar as desarranjos irreversíveis do sistema de coagulação sangüínea. Isso lhes dá algumas vantagens consideráveis: os roedores não percebem o que está causando sua morte e continuam a ingerir o raticida; dosagens muito baixas são eficazes; são de baixa toxidade para os animais domésticos e para o homem; envenenamentos acidentais podem ser prontamente controlados pela administração de Vitamina K1

Cocho ou Comedouro:
Caixas apropriadas destinadas à proteção intrínseca e extrínseca das iscas, que possuem basicamente dois orifícios laterais para que os roedores entrem e saiam livremente. No seu interior são colocadas as iscas raticidas ou pós de contato e dispõe–se esses cochos sempre ao longo das trilhas e caminhos dos roedores ou próximos às suas tocas. São particularmente indicados onde a segurança é primordial, pois evitam que as crianças e animais tenham acesso ao raticida.

FASES PARA IMPLANTAÇÃO DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS:
A higiene é importantíssima para a manutenção dos padrões de qualidade em sua empresa. Combater os insetos é fundamental para evitar sua proliferação e contrair doenças.

Nessa guerra, os investimentos em equipes especializadas são elevados, mas nem sempre os inseticidas empregados e o modo de aplicação são os melhores, visando uma maior aproximação com esta conceituada Clinica viemos apresentar nossa organização que atua no mercado a 20 anos, especializada em serviços de CONTROLE DE PRAGAS URBANAS, LIMPEZA DE CAIXAS E RESERVATÓRIOS D’ÁGUA.